Saturday, December 29, 2012

Working with blend filters on Gimp

Some strokes where I've used the mode Overlay or Hue to coloring the gray stains.
Some strokes where I've used the mode Overlay or Hue
to coloring the gray stains.
I'm doing many experiments with the blend filters with my round brushes. My focus is mainly to know the possibilities to build cool transparencies directly on the brush... that's possible changing the blend mode when your brush is active on the tool options slide.
The mode that I've used to create these images are mainly "overlay" and "hue".  The approach is very simple... first you can drawing some strokes in gray values with normal mode active. The canvas can be  white or transparent. The next step is change the mode of your brush to "overlay" and to apply the colors  on the gray strokes. Is more efficient to have the opacity low between 50 and 70%.
Another interesting possibility is to have a colored canvas and to apply the strokes with 'overlay' mode active in the brush (see below figure).
Canvas colored with a green pastel where I've applied the strokes with overlay
mode active on the brush.
Gray strokes made first and after I've applied the strokes with mode Overlay and Hue actived.
Gray strokes made first and after I've applied the strokes
with mode Overlay and Hue active.
Gray strokes painted with Overlay mode directly and some parts I've used a transparent layer in overlay mode.
Gray strokes painted with Overlay mode directly and some parts I've used
a transparent layer in overlay mode.

Sunday, December 16, 2012

Textura experimental e a nova Monoprice 10x6 | Ora Bolas

Recentemente comprei uma nova tablet gráfica, uma Monoprice 10x6... em grande parte incentivado pelo Mozart Couto. Como a minha plataforma é Gnu-Linux, inicialmente não estava funcionando... coisas de setup e provavelmente de atualização de kernel. Hoje testei... tendo presente as dicas do Mozart para o setup dela no Gimp e funcionou muito bem no Gnome-remix 12.10.
Para testa-la comecei a desenhar circulos com o instrumento Ink do Gimp e daí saiu este pattern...
A Monoprice é bem baratinha e tem tecnologia da UC-Logic, uns 60 dólares no mercado americano... mas já deve ter aumentado.
Ela funciona que é uma maravilha para o traço e desenho... eu aconselho para quem usa Mac, Windows e Linux.
Para quem quiser ver o teste que o Ray Frenden fez na Monoprice o link está aqui:
http://frenden.com/the-little-monoprice-graphics-tablet-that-could/
Agora tenho duas tablets... uma velha senhora da wacom, uma intuos 2 e esta Monoprice. Poderei finalmente fazer testes que estava preparando já de longo tempo.

Bem chega de conversa... aí vai o Pattern.
Pattern com instrumento Ink do Gimp 2.8 e uma simples dinãmica soment atuando no size.
Ora Bolas - Pattern com instrumento Ink do Gimp 2.8 e uma simples dinãmica soment atuando no size.

Thursday, December 13, 2012

Ilustrações recentes | Anuário ARede

Ilustração dedicada à apresentação do anuário. Ocupa duas meias paginas.
Ilustração dedicada à apresentação do anuário. Ocupa duas meias paginas.
Finalmente tive um pouco de tempo para escrever este artigo sobre as ilustrações que fiz para o Anuário ARede da Bit Social e produzido pelo Mandacaru Design de São Paulo.
O anuário é dedicado a projetos de ONGs e do setor privado referidos a Internet e as novas tecnologias. No ambito deste cenário anual estão muitos projetos dedicados a comunidades, a escolas e a cursos complementares aonde usam prevalentemente software livre.
O trabalho das ilustrações foi bem articulado e organizado pela Manaíra Abreu do Mandacaru.
Algumas das ilustrações, principalmente as de formato A3 e as compridas que cobriam duas paginas levaram bastante tempo devido a grande quantidade de detalhes.
Inicialmente propus esboços que foram vistos e aprovados pelo staff responsável e serviram em linha linha geral para a realização das ilustrações.
Produzi uma paleta de cores em RGB seguros para o CMYK, isto para manter a mesma gama de cores entre as varias ilustrações.
Um trabalho particularmente detalhado e longo foi feito no lettering aonde procurei criar diferentes soluções dependendo do vocábulo.
Para os interessados alguns dos aspectos técnicos para a criação destas ilustrações... poderão encontra-los no artigo do Forks And Drills: [http://forksanddrills.blogspot.com/2012/12/gimp-28-and-mypaint-10-workflow.html]
Ilustração dedicada ao editorial inspirada em uma ideia de Manaíra Abreu.
Ilustração dedicada ao editorial inspirada em uma ideia de Manaíra Abreu.
Finalmente ho avuto un'attimo di tempo per scrivere qualcosina sulle ultime illustrazioni che ho realizzate per l'Anuário ARede della Bit Social e prodotto dallo Mandacaru Design di São Paulo.
Le illustrazioni sono state organizzate e dirette dalla Manaíra Abreu dal Mandacaru.
Questo annuario è quanto di più bello succede nel scenario brasiliano in termini di progetti, comunità e corsi alternativi o complementari dove vengono usati quasi esclusivamente il software libero.
Alcune delle illustrazioni, principalmente quelle di formato A3 e le lunghe che coprivano due pagine hanno portato parecchio tempo eseguirle... principalmente per colpa della grande quantità dei dettagli e del lettering.
Inizialmente ho proposto degli schizzi che sono stati sottoposti e approvati dallo staff responsabile... e hanno serviti come linea guida per la realizzazione delle illustrazioni.
Ho anche creato una tavolozza in RGB, ma sicuri per la quadricromia, questo per mantenere la stessa gamma colori tra le diverse illustrazioni.
Il lavoro è stato particolarmente dettagliato e lungo e tutto il lettering è stato pensato appositamente per ogni parola. Perchi fosse interessato il processo che ho utilizzato per creare queste illustrazioni potete trovarle in [http://forksanddrills.blogspot.com/2012/12/gimp-28-and-mypaint-10-workflow.html]
Io spero che vi piaccia questa roba!
Ilustração para o índice que deveria ocupar a parte superior de duas paginas..
Ilustração para o índice que deveria ocupar a parte superior de duas paginas... mas por motivo que o índice ficou muito longo acabou sendo cortada na metade.
Ilustração em formato A3 intitulada Terceiro Setor. Nesta ilustração todos os letterings foram minuciosamente projetados antes em base ao tipo de vocábulo.
Ilustração em formato A3 intitulada "Terceiro Setor". Nesta ilustração todos os letterings foram minuciosamente projetados antes em base ao tipo de vocábulo. A grande quantidade de detalhes produziu uma imagem de grande peso... no final do processo beirava 1 Gb.
Ilustração em formato A3 intitulada "Setor Privado". Todos os fundos e degradês das imagens foram projetados para obedecer as cores de inicio e fim.

Sunday, November 25, 2012

Ritorno al Blog :-)

Ci sono ormai due mesi che non scrivo niente qui... molti lavori, progetti nuovi e alcuni illustrazioni che mi hanno preso molto tempo e energia. In questo periodo ho lavorato sodo per dei progetti propri e d'altri per dei committenti (meno male, per che così faccio un po' di soldini).
Con il progetto Forks And Drills, il progetto che ho assieme Mozart Couto sul software libero applicato alle arti grafiche digitali, in cui vengo occupando una buona parte della mia energia produttiva e creativa... recentemente ho fatto diversi lavori con dei pennelli per Gimp di un'artista e professore della Slovacchia, L'ubomir Zabadal. La serie di lavori che presento sotto sono tutti stati fatti digitalmente utilizzando i pennelli di Zabadal.
Greenery Brush Series di Zabadal da Americo Gobbo, Gimp, 2012.
Greenery e Lithographic Chalk Brushes di Zabadal da Americo Gobbo, Gimp, 2012.
Red Chalk Brushes di Zabadal da Americo Gobbo, Gimp, 2012. 
Wood Brushes Series di Zabadal da Americo Gobbo, Gimp, 2012.
Un'altro lavoro importante che ho fatto in questo periodo è stato delle illustrazioni per un rassegna su progetti sociali riguardanti l'utilizzo delle nuove tecnologie, chiamato ARede... sotto metto alcune tavole che sono state fatte per questo progetto.
Sbozzo di una delle tavole per il progetto ARede.
Tavola formato A3 fatto in digitale.
Dettaglio della tavola di sopra.
Un'altra tavola in formato A3.
Particolare della tavola di sopra.

Wednesday, August 22, 2012

Brincando com mascaras rápidas

Retrato de Bach para experimentos com masks.
Retrato de Bach para experimentos com masks.
Hoje estive explorando um pouco as possibilidades das mascaras rápidas e os canais, técnicas bem conhecidas tanto no Photoshop quanto no Gimp.
Estou organizando um novo fluxo de trabalho para a colorização de alguns esboços rápidos que fiz, então pensei que poderia ser uma oportunidade de aprofundar o argumento, que foi muito bem aconselhado pelo Mozart Couto.
A mascara rápida parece ser bastante interessante quando combinada a gravação dos canais, assim constituindo uma pequena biblioteca de seleções.
O uso da mascara rápida me lembra muito os velhos tempos de fotografia no quarto escuro, parece ser mais fácil de interagir com os espaços e figuras, pois estamos agindo através de pinceladas de branco puro para esconder as áreas a serem protegidas.
Na medida que criamos as mascaras, podemos salva-las como canais para depois irmos aplicando-os a imagem de referência. O uso criativo desses recursos podem constituir em efeitos inusitados ou simplesmente, como no meu caso, ir colorindo a imagem em modo protegido através das mascaras.
Para brincar com este argumento usei um retrato do Bach da Internet e comecei uma serie de experiencias, entre layer masks, mascaras de vários tipos (de seleção pura e através da quickmask), até gerar esta série de imagens e recortes.
Mascara rápida com pincel bem ruidoso e aplicado colorização em múltiplas camadas.
Mascara rápida com pincel bem ruidoso e aplicado colorização em múltiplas camadas.
Mascaras para olhos lábios e colarinho...
Mascaras para olhos lábios e colarinho...
Bach depois de diversas interações entres vários tipos de mascaras (de seleção, rápidas, canais)
Bach depois de diversas interações entres vários tipos de mascaras (de seleção, rápidas, canais)

Saturday, August 18, 2012

Exercícios do 'imaginário'...

Já há algum tempo venho exercitando a possibilidade de colecionar imagens... tudo começou há muitos anos quando ainda tinha a mania de recortar imagens de revistas. As vezes recortava-as inteiramente, selecionando somente algumas partes, para construir um grande repertório de imagens dedicadas ( posições das mãos, pés, rostos, olhos, árvores... etc). Uma amiga minha, Anna Marchi, me ajudou a criar um pequeno fichário dos recortes, organizados por sujeitos... ela trabalhava na epoca na biblioteca municipal de Imola. Os restos destes recortes ficavam, as vezes por meses, no meu estúdio a espera de alguma utilidade... até um dia que tive a ideia de usa-los para construir collages...
Collage e Caligrafia com restos de recortes...
Collage e Caligrafia com restos de recortes...
Se alguém tiver curiosidade de ver o resultado destes collages podem olhar no meu site, na coleção collages.

Por falar em fichários... eu tive a oportunidade de fazer uma breve pesquisa sobre Ray Bradbury no Youtube e encontrei muitos vídeos interessantes sobre ele e o seu trabalho de escritor. O vídeo abaixo em particular é muito bonito, pois nos faz ver um pouco o universo deste escritor e como ele construía os seus contos de ficção cientifica. Tem algumas cenas no seu estúdio de trabalho repleto de coisas e tantos fichários, mas tantos... (nos anos '50 e '60 não tinha nada de Internet e os recursos que temos hoje em termos de redes de informação). Aproveitando a dica... um dos mais belos livros dele na minha opinião é The Illustrated Man (O Homem Tatuado), de 1951, que foi adaptado para o cinema em 1969. [http://en.wikipedia.org/wiki/The_Illustrated_Man_(film)]



Hoje em dia temos vários instrumentos que podem muito bem substituir o meu fichário de imagens, o Picasa... mas ultimamente o mais belo em absoluto é o Pinterest [http://pinterest.com/all/].
Talvez a coisa mais interessante do Pinterest é a condivisão das coleções entre os usuários... neste modo você pode seguir as coleções de vários usuários e ir incorporando-as às tuas e vice-versa. Na verdade é um grande fichário comum organizado por temas (descritos pelo donos dos albuns).
Eu estou gostando muito de olhar e condividir as figurinhas de outros e assim por diante... é uma imensa corrente que a cada dia aumenta sem muito trabalho.
A preview da pagina de abertura de um account do pinterest.
A preview da pagina de abertura de um account do pinterest.
Do meu ponto de vista de ilustrador, conhecer o 'imaginário' de outros artistas, ilustradores, pessoas comuns que por hobby ou profissão que colecionam imagens é muito importante. Isto constitui um imenso repertório de referências para novas ideias, para entender aonde o teu imaginário colide ou coincide com o de outros... Então vale a pena ter um account no pinterest, tem de tudo um pouco e a tendência vai ser ter tudo de tudo em termos de imagens.

Tuesday, July 31, 2012

Fazendo livros ilustrados e o projeto Red Rhino

Eu fiz uma longa pesquisa sobre os diferentes tipos de soluções para os livros. É muito divertido ver que um livro pode ter diferentes formatos e soluções de packaging.
Nesta pesquisa coletei uma infinidade de fontes, muito material a gente encontra diretamente na internet, no YouTube, p.e., eu encontrei uma infinidade de artistas que fazem coisas ótimas neste sentido... e adotam quase sempre workshops para divulgarem suas ideias e conceitos. A playlist do YouTube que disponibilizo aqui tem mais de 3 horas de vídeo: Books Possibilities.
Toda esta pesquisa deu origem a uma série de concepts de livros híbridos, assim eu os chamei, aonde confluem vários tipos de formatos e soluções.

No inicio de 2011 eu comecei a pensar em criar um grupo de trabalho dedicado ao universo do livro ilustrado e focado nesta ideia de livros híbridos... então conversei com amigos aqui no Brasil e alguns ilustradores italianos, um editor italiano amigo meu (que me indicou alguns escritores) e dai partiu as primeiras tentativas de realizar algo, isto fez nascer o grupo chamado Red Rhino. Ele é formado por mim, Alessandra Tadiotto, escritora, Lorenza Trojan e Oto Maki, ambas ilustradoras.
O trabalho inicial foi bem complicado e tivemos que nos organizar em modo bem diferente do tradicional, pois cada um de nós vive em partes diferentes do mundo... então emails, talks e chats. Hoje em dia temos já um método bem aperfeiçoado e isto é produto de mais de 1 ano de trabalho árduo e suado.
Finalizamos, em outubro de 2011, o nosso primeiro livro para de uma serie pensada sobre a alimentação dos pequeninos. São livros cartonados predisposto para marionetas de dedo. Estamos tentando vender este projeto no mercado americano através da minha agente Anna Johnson.
A ideia dos livros híbridos, assim como imaginei, infelizmente não é muito aplicável ao mercado de hoje... o livro fica muito caro e com muitas dificuldades na produção e na logística, pois muitos destes livros especiais são produzidos quase que totalmente em China. Mas ainda não abandonei a ideia de produzir estes livros em tiragens super limitadas em modo handmade e trata-los como múltiplos.

Apesar de termos boas ideias e material humano de qualidade não é fácil entrar neste mercado e isto vale para muitos dos países hoje em dia, estamos em tempo de crise e precisamos inovar, renovar as soluções. Até a própria França, que é um dos mercados mais interessantes para o livro ilustrado também está sofrendo.

No sentido de renovação e inovação, recentemente a Alessandra Tadiotto me fez uma provocação: criar um site para o nosso projeto aonde iriamos produzir livros digitais para distribuição gratuita, isto para promovermos o nosso trabalho. Achei que a ideia é ótima e estamos iniciando as conversações para a criação do site e um plano de preparação de todo o projeto, que provavelmente será inaugurado no final deste ano.

A ideia é bem simples, criar um blog inicialmente, aonde iremos falar de varias coisas relativas aos livros ilustrados, colocar novos projetos, contos e estudos do "in progress" da realização das ilustrações e diagramações destes contos.

Eu pessoalmente tenho vários projetos para os quais gostaria de disponibiliza-los nesta forma: um conto sobre as Nuvens e outro o Jardim de Amoreiras.
Esboços gerais para a estória das Nuvens.
Esboços gerais para a estória das Nuvens.

Mapa da cidade aonde o jardim das amoreiras fica.
Mapa da cidade aonde o jardim das amoreiras fica.

Tuesday, June 26, 2012

L'uomo che piantava gli alberi


Oggi leggendo il blog di Anna Castagnoli, Le Figure Dei Libri, sono stato colpito a ciel sereno da un raggio di bellezza e son rimasto senza parole come l'uomo che piantava gli alberi. Un bellissimo film d'animazione Frédérick Back tratto dal romanzo di Jean Giono, vincitore del premio Oscar per il miglior cortometraggio d'animazione nel 1988. Il film é veramente troppo bello e meritano l'intera mezz'ora per guardarlo!

Monday, June 25, 2012

O Desenho na Pintura Digital

Pen and wash lion by Rembrandt in the Louvre [Fonte: Wikimedia]
Pen and wash lion by Rembrandt in the Louvre [Fonte: Wikimedia]
Hoje acabei de terminar um artigo no Forks And Drills sobre como o Desenho vem aplicado nas técnicas da Pintura Digital hoje em dia.  Para quem estiver interessado em olhar alguns vídeos que organizei segundo as duas técnicas em voga, podem acessar o link:

Tuesday, May 29, 2012

Clipboard Pencil on Gimp

Algum tempo atrás me foi sugerido pelo Mozart Couto realizar algumas experiências com pinceis diretamente do clipboard... Hoje olhando como o Manga Studio trabalha com alguns tipos de preenchimentos comecei a realizar os primeiros testes. A minha ideia é entender como posso utilizar melhor o clipboard pencil para criar patterns interessantes.
Este pattern foi realizado partindo de um esquema bem simples, inspirado em um dos pinceis dedicados aos lápis usando como mode Difference, que segundo os testes preliminares parece ser o mode ideal para realizar texturas com o clipboard.
Neste exemplo usei um Colorize e logo a seguir apliquei novamente o pincel criando assim estas diferenças entre tipos de matizes.
Textura realizada com um pincel de clipboard
Textura realizada com clipboard pencil a partir de alguns rabiscos feitos com um pincel para lápis. No Mode foi usado Difference

Friday, May 4, 2012

aemulation

Studi di sfondo basato nel pennello Forks | Wet Centipede.
Já faz alguns anos que venho estudando as técnicas pictóricas no computador, procurando achar o justo equilíbrio entre aquilo que é possível fazer no meio digital e daquilo que acontece no mundo real.
Eu acho muito difícil falarmos de emulação sem pensar que quase tudo que fazemos em parte é também emulação... mesmo quando estamos fazendo o dropping à Pollock... em verdade estamos procurando emular algo que está na nossa mente, as vezes um bocado escondida...
Desde 2008 venho desenvolvendo um projeto para o GIMP, são pinceis capazes de resolver algumas das minhas necessidades de emular algumas técnicas, como aquarela, o arranhado de certos velhos pinceis, etc. É certo que muitos destes pinceis dinâmicos nasceram de exigências próprias, outros frutos da curiosidade... mas é curioso que cada vez que me aproximo da solução de uma dada técnica, esta mesma solução me leva longe da técnica emulada. Isto porque como sempre, seja no mundo virtual que naquele real os instrumentos de trabalho são mais versáteis do que imaginamos. Não é um pincel de sumiê que vai ditar se a técnica resultante do manejo do pincel vai ser um sumiê, mas sim a padronagem e habilidade do 'artista'. Não é dito que com uma brocha de pintura de muro nós não possamos realizar igualmente um sumiê.
No computador nós trabalhamos com instrumentos diferentes e procurar emular padrões de técnicas pictóricas clássicas quase sempre se traduz em uma derrota, as vezes parcial... as vezes estamos perto mas não faz muito sentido, pois o instrumento é outro e os efeitos também serão outros... então eu me pergunto? Porque então nos limitarmos à mimica do tradicional e do Déjà vu?
O grande segredo desta busca, eu penso, talvez esteja no compromisso de conviver com coisas que recordam as tradicionais técnicas pictóricas em suportes reais (papel, tela, madeira, etc.) e aquelas novas  que conseguimos digitalmente (as vezes em modo premeditado, as vezes em modo inusitado).
Ao se trabalhar digitalmente, precisamos ter em mente que como no mundo o real o bom gosto, o equilíbrio, a boa composição, o estudo das cores, o movimento, o ritmo e a forma são coisas a serem usadas sempre com leveza e 'educação'.
Hoje organizando a coleção de pinceis digitais... eu comecei a brincar com um pincel da série Centipede, que foi pensado inicialmente para imitar alguns aspectos do fluxo da tinta na aquarela. A verdade é que ele parece resolver sim algumas coisas... mas ao mesmo tempo é capaz de ir alem e as vezes até na direção oposta... e daí a gente percebe que neste universo nós precisamos é sim nos habituarmos ao imprevisível!

[Italiano]
È già da qualche anni che vengo studiando le tecniche pittoriche al computer, cercando di trovare il giusto equilibrio tra quello che è possibile fare al computer e quello che in realtà succede nel mondo reale.
È difficile parlare di emulazione senza pensare che tutto quello che facciamo è per certi versi anche emulazione... anche quando stiamo facendo il dropping come Pollock... in verità stiamo cercando de emulare un universo che ci sta in mente.
Da anni lavoro su un progetto per un programma opensource, il GIMP, per creare dei pennelli capaci di risolvere alcuni delle mie necessità per emulare alcune tecniche, come quella dell'acquarello... infatti ogni volta che mi avvicino alla soluzione mi porto sempre più lontano da quello che si capisce come acquarello o qualsiasi altra tecnica.
Al computer lavoriamo con strumenti differenti e cercare questo compromesso è quase sempre una sconfitta... possiamo avvicinarci, ma allo stesso tempo non fa molto senso, visto che gli strumenti sono altri e gli effetti anche saranno altri. Il gran segreto sta nel compromesso di convivere con cose che ricordano le tecniche pittoriche su supporti reali e quelle nuove tecniche e effetti che riusciamo al computer, quasi sempre in modo imprevisto o inusitato.
Oggi organizzando il lavoro per questa collezione di pennelli digitali, mi sono messo a giocare con un pennello chiamato Centipede (cento piedi letteralmente), inizialmente pensato ad alcuni aspetti del flusso di inchiostro nell'acquarello. La verità è che sto vicino ma allo tempo lontano di riuscirci nell'impresa... comunque sia vado scoprendo che in questo universo bisogna abituarsi con l'imprevedibile!

Thursday, April 19, 2012

e-books

Nos últimos dias venho trabalhando intensamente no meu projeto de produção de livros ilustrados independentes. Junto com um amigo o Mozart Couto, ilustrador e quadrinista brasileiro, pensamos em começar a produção de livros ilustrados para vende-los em próprio.
O esquema é bem simples, usar essencialmente o Blurb.com e Lulu.com para a produção de livros em papel e usar ao mesmo tempo os canais de vendas deles. Um ótimo artigo em inglês do Smashing Magazine está aqui.
A coisa meio complicada é colocar em pé o workflow para a produção de livros de papel e ao mesmo tempo de e-books, então estou investigando os programas e standards mais viáveis para fazer isto, seguramente o formato .epub é a melhor opção.
Um dos problemas que temos são os tools para fazer editing, estas tarefas estão dispersas entre muitos tipos de tools e soluções de workflow... a principal necessidade é ter um processo aonde você consiga realizar em modo fácil, rápido e bonito estes livros ilustrados.
Com o standard epub versão 2 e 3 não é ainda possivel ter diagramações muito dinâmicas e eficientes para os livros ilustrados, mas o essencial e o básico é já possível. Então, o conceito básico é usarmos  simples instrumentos, tais como editores de textos básicos e alguns dos editores ou formatadores de ebooks, e integra-los em um processo seguro e eficaz para o produção de livros digitais.
A portabilidade entre vários tipos de tablets e dispositivos de leitura de e-books é o principal problema aqui e para isto o CSS funciona muito bem, existem soluções muito fluidas de layout mas essencialmente pensados para web... vai precisar encontrar o equilibrio entre as várias soluções e simplificar ao máximo tudo, até que existam tools e ou processos para fazer estas coisas de maneira ideal!
Nesta tarefa de procurar e descobrir o workflow me veio a ideia de produzir um ebook em formato .epub e que proximamente estará disponível aqui no blog.


[Italiano]
Negli ultimi giorni sto lavorando sodo nel mio progetto per la realizzazione e produzione di libri illustrati, ma in modo indipendente. Assieme ad un amico, Mozart Couto, illustratore e fumettista brasiliano, abbiamo pensato di produrre libri illustrati e venderli in proprio.
Lo schema è molto semplice, si usa principalmente il Blurb.com e Lulu.com per la produzione dei libri su carta e allo stesso tempo si vende sui loro canali, hanno delle soluzioni interessanti per dei shops.
Un eccellente articolo sugli ebook sta su Smashing Magazine qui [in inglese].
Uno dei problemi che abbiamo sono i tools di edizione e impaginazione, queste attività stanno un po' frammentate tra differenti tipi di tools e workflows... la principale necessità è avere un processo dove si riesca realizzare degli ebooks in modo facile, rapido e bello.
Lo standard epub versioni 2 e 3 non sono ancora completamente adattabili ai libri illustrati, ma il basico lo fa. Allora il concetto è servirci per ciò di strumenti semplici e integrarli in un processo sicuro e efficace per la produzioni di libri digitali.
La portabilità tra i vari tablets e dispositivi di lettura sul mercato è il principale problema da risolvere e qui CSS fa il suo lavoro... esistono delle soluzioni di layout liquidi per questi dispositivi, ma essenzialmente pensati per l'web e no per libri... in ogni modo le soluzioni ci sono basta trovare il giusto equilibrio.
In quest'attività di cercare e scoprire il migliore workflow mi è venuta l'idea di produrre un ebook in formato .epub... che prossiamente sarà scaricabili da tutti sul mio blog.  

Friday, April 13, 2012

Xilogravura digital, algumas anotações...

Xilogravura digital realizada no Gimp com meus pincéis para esta técnica. Foi utilizado somente o mouse.
A xilogravura é amplamente emulada em muitos ambientes digitais e alguns programas, como aqueles de desenho vetorial (Illustrator, por exemplo). Na minha opinião a qualidade técnica destas soluções são muito interessantes e belas mas ao mesmo tempo sofrem de uma homogeneização no estilo e na qualidade intriseca dos trabalhos. Eu prefiro uma técnica mais essencial e mais afim com o grandes mestres da xilogravura para a literatura do Cordel. Também prefiro trabalhar com rasters, ou seja imagens com pixels. Para isto eu criei um serie de pinceis no programa que uso para meus trabalhos, o Gimp, mas que pode ser feito também no Photoshop. O principio dos pinceis basicamente se mantém, mas com algumas diferenças entres estes dois softwares.

A técnica da xilogravura se confunde com a própria invenção da imprensa... ela foi inventada na China no mesmo período em surgiu o papel por lá. Muitos incisores e artistas famosos já usaram esta técnica... o mais virtuoso ao meu ver é Albrecht Durer, de fato eu tive a oportunidade de ver alguns das suas incisões impressas no Gabinete degli Uffizzi di Firenze e são impressionantes mesmo.
O Transporte da Cruz, A Grande Paixão, Albrecht Durer, 1498, 28x39 cm. [Fonte Wikimedia]
A coisa interessante é que a xilogravura foi amplamente usada para ilustrar os primeiros livros baratos da era moderna e muitos no inicio da imprensa. Eu venho fazendo uma pesquisa sobre o livro ilustrado na web e pude constatar o uso preponderante da tecnica até meados do século XIX.
Na minha mente permanecem principalmente os trabalhos da arte chinesa e japonesa e daquele que talvez seja o maior icone desta técnica, A Grande Onda de Kanagawa.
Xilogravura com multiplas matrizes realizadas por Kanagawa no sec. XIX, ~1830, 25x37 cm. [Fonte Wikimedia]
No Brasil ela se confunde no imaginário coletivo com os cordeis e nas obras de Goeldi... para mim é muito forte a primeira. O site 100 anos da xilogravura na literatura do cordel, é na minha opinião a melhor referência na web sobre o tema.
Imagem da matriz da xilogravura. [fonte: site 100 anos da xilo no cordel]
Realizei um breve vídeo aonde vocês podem ter uma ideia de como realizar esta tecnica no Gimp, mas acredito que os mesmos passos possam serem feitos no Photoshop.

Wednesday, April 11, 2012

Esboços com o Wet Flow Sharp Simple ...

Desenho executado com o pincel "Forks Flow Sharp Simple", pensado para trabalhos úmido sobre seco.
Desenho executado com o pincel "Forks Flow Sharp Simple", pensado para trabalhos úmido sobre seco.
Estou nestes dias aprimorando alguns dos meus pinceis digitais e este em particular me está dando muitas alegrias. Este desenho foi rapidamente feito em um formato A3 a alta resolução com somente o mouse... as marcas que ele produz me lembram muitas técnicas interessantes, entre arte gráfica e ink.
É particularmente difícil catalogar técnicas pictóricas em ambiente digital, são efetivamente outro universo e, as vezes não tem muito sentido falar de uma ou outra técnica. No meu caso eu vou seguindo o instinto... procurando aquele traço, aquela mancha, aquela figura.

Sunday, March 25, 2012

Forks Wet 3 e 4 | Watercolor Brushes for Gimp

Alguns dos pinceis mais interessantes para a técnica da aquarela são estes da serie Wet. Estavam meio esquecidos na gaveta e foram re-descobertos pelo Mozart Couto. A serie inicial começou com pinceis estáticos, de fato, segundo o Mozart são os mais interessantes... aí eu fui olhar pra ver o que tinham de particular.
Estes pinceis estáticos criam uma textura muita parecida daquela obtida no papel tramado de aquarela. Então pensei em fazer algumas experiências... transformando-os em pinceis dinâmicos, usando a mesma mancha, mas girando-a levemente, pra evitar que a trama fosse muito repetitiva.
Depois criei um pincel para grandes dimensões, de 256px, muito parecido com os wet 2 originais.
Aqui estão algumas das manchas produzidas pela serie wet 2 estático e os dinâmicos que criei.
Marcas com o pincel Wet 4 de 256 pixels

Tuesday, March 20, 2012

Gimp Brushes: how optimize the brush area.

Experiências e testes para verificar o rendimento de pinceis feitos otimizando a area da mancha.

Estou estudando alguns dos aspectos mais interessantes do pinceis do gimp, a relação que existe entre o espaçamento e a medida final do pincel.

Um modo de você conseguir otimizar pinceis passa pela otimização dos espaços das manchas no pincel... muitas vezes no passado eu colocava uma pequena mancha dentro de um grande espaço branco, p.e., um mancha que ocupava 50 px de diâmetro em um pincel de 100x100 px. Eu notei que esta é uma pratica comum de muitos pinceis, mas não é tão boa, pois aumenta inutilmente o peso do pincel e da elaboração. A dica é estudar os pinceis otimizados dentro do espaço disponível... deixando o menos possível de espaços nas laterais.

Quando você otimiza o pincel dentro da dimensão real, você evita o efeito de ter um pincel menor daquele valor que é apresentado na lista do gimp. Por exemplo, se você usar metade do espaço... o pincel na lista vai estar como 128 px, mas na verdade ele vai ter a metade do tamanho, visto que ocupa somente 50% da área disponível.

Estas noções valem tanto para pinceis dinâmicos (.gih) quanto estáticos (.gbr), mas são mais importantes nos dinâmicos.

Fig.1 | Box 128 px e stroke de 64 px
(não otimal)
Fig.2 | Box 128 e stroke 128 px
(otimal).
Os pinceis dinâmicos são bem complexos e dependendo da quantidade de dimensões, quantidade de camadas e finalmente tipo de comportamentos envolvidos, podem requerer muita memoria e tempo de elaboração do processador. Quando projetamos tais pinceis temos que levar em consideração estas condições.
Outro fator muito importante é o 'spacing' ou 'espaçamento', quando temos, por exemplo, um espaçamento igual a '10', isto implica que teremos as manchas separadas entre si de 10% da medida efetiva do pincel... se for de 128 px, as manchas estarão separadas entre si de aproximadamente 13 px. Então quanto melhor for a otimização do uso das manchas em relação ao espaço disponivel, menos separadas estarão as manchas entre si. Na Fig. 1, teremos um espaçamento maior visto que a mancha ocupa somente 25% da area total do pincel.

Thursday, March 8, 2012

Birds

The last year I've participated an event about the birds at São Paulo in Brazil.
This was my work with imaginary birds and I wrote the text about the beauty of John Ruskin.

Saturday, March 3, 2012

Gimp Brushes Series Revisited

In tutti questi mesi sono stato molto preso dal progetto dedicato ai Brushes di Gimp... adesso finalmente con dei buonissimi spunti nati in questi mesi... ho dei bellissimi strumenti che rendono molto dinamici e interessante le pennellate sui futuri lavori.
Con Mozart Couto, un amico fumettista in Brasile, che mi ha molto incentivato in proseguire questo lavoro, che ho lasciato fermo fin dal 2009. Lui ha gentilmente fatto dei brevi video per esemplificare le qualità di questi pennelli nel nostro programma preferito, Gimp.
La storia e i perché del progetto sono spiegati in questo mio manifesto personale.

Esta é uma serie de testes feito pelo Mozart Couto em uma serie de pinceis que venho construindo a partir de 2008/09.
Estes pinceis estão ainda sendo reelaborados segundo o correto funcionamento dos pinceis de tipo gih (pinceis dinamimos do gimp).
Os testes feitos pelo Mozart se mantiveram o mais simples possiveis e tem a intenção de evidenciar a natureza dos pinceis... sem quaisquer presets o particulares dinamicas com a tablet. De fato muitos destes pinceis foram pensados para serem usados a partir do mouse, mas é claro que com uma tablet o pincel vai dar o seu maximo.
Todos os pinceis foram estudados e projetados para resultarem eficientes sem quaisquer presets, isto simplifica muito o fluxo de trabalho de um artista. Um pincel é um pincel e tão somente! 


Um pouco da história deste projeto vocês podem ler aqui!

Part One
Part Two
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...