Monday, April 14, 2014

Técnicas pictóricas em digital na medida do possível ;-)

Pinceladas de teste com vários tipos de pinceis e dinâmica para pintura molhada. Realizado no Gimp.
Pinceladas de teste com vários tipos de pinceis e dinâmica para pintura molhada.
Nos últimos meses estive envolvido em vários projetos e ideias... principalmente os métodos e os paradigmas da pintura digital. Até o momento eu enchi paginas e mais paginas de texto e anotações, as vezes um pouco desencontradas, outras vezes com pontos em comum, mas o trabalho de pesquisa fica cada vez mais interessante e provocador.

Eu pessoalmente estou interessado nos métodos de emulação de muitas técnicas pictóricas... mas para obter maior conhecimento do meio digital no sentido de propor coisas tradicionais e implementar o tradicional no digital com algo diferente que provem propriamente deste meio... vamos parar um pouquinho para pegar um pouco de folego.
Esboço para simulação de alguns efeitos da técnica da aquarela realizados no Gimp.
Esboço para simulação de alguns efeitos da técnica da aquarela realizados no Gimp.
A ideia era estudar técnicas pictóricas tradicionais e implementar isto no âmbito digital... usando ferramentas livres... mas no final percebi que podemos pensar em modo mais amplo, abrangente... ou seja... melhor é estudar as técnicas em modo que façamos uso do meio digital de forma mais livre e independentemente da proveniência dos softwares e sistemas operativos.

Uma questão importante ligada a estas questões é fato da mimica da pintura... ou os instrumentos e presets que tentam emular determinado tipo de pintura ou efeito. Depois de muito pensar no tema eu cheguei que a conclusão que a mimicas da pintura em si não nem boas e nem ruins, dependem do uso criativo que cada um de nós faz das mesmas... no entanto, as mimicas de pintura privam o artista de uma melhor interação com o meio digital e os instrumentos de base da pintura digital.

Eu pessoalmente acredito que trabalhar diretamente nas ferramentas e construir as próprias maneiras de pintura seja a melhor solução para o percurso de um ilustrador ou artista em meio digital.
Misto de técnica seca e úmida da aquarela em meio digital com um suporte parecido ao papel tipo Ingres, realizado no Gimp.
Misto de técnica seca e úmida da aquarela em meio digital com um suporte parecido ao papel tipo Ingres, realizado no Gimp.
Em um processo natural e real da pintura ou do desenho, estamos acostumados a pensar e tratar o meio pictórico segundo esquemas próprios e naturais do mesmo, isto é, eles estão ligados de alguma forma a meios e técnicas tradicionais de tratamento... por exemplo o lápis e o esfuminho e as suas relações com o suporte usado... Eu já mencionei em passado, mas muito do aspecto que entendemos sobre as aparências de certas técnicas pictóricas estão em grande parte ligadas aos seus suportes e outra parte devido ao próprio instrumento... por exemplo a relação do lápis ou determinada tinta com um tipo de papel... não existe traço do grafite sem pensar na relação de atrito com o papel... imaginem por exemplo desenhar no vidro com um lápis, em primeiro lugar o traço vai ter dificuldade de se fixar e segundo lugar é provável que não sera nada parecido com o aspecto que consideramos habitual.
Estudando alguns efeitos da aquarela em meio digital e como propo-los em modo simples e praticos, teste realizado no Gimp.
Estudando alguns efeitos da aquarela em meio digital e como propo-los em modo simples e praticos, teste realizado no Gimp.
Neste sentido eu acredito que seja mais importante entender bem os conceitos de cada técnica e assim propor um equivalente com algo a mais que tenha origem no meio digital... usando mimicas prontas estaremos encurtando muitos processos mas ao mesmo tempo se produz uma certa homogeneização nos aspectos desta ou daquela técnica e uma grande parte da aprendizagem se perde que poderiam ser uteis para inovar e improvisar o nosso modo criativo, nossos processos e estilo.

Tuesday, February 18, 2014

Ideias, projetos, trabalhos... tirando a soma e a prova do nove

Ilustração sobre os Detrans de vários estados brasileiros e os aplicativos para os smartphones.
Ilustração sobre os Detrans de vários estados brasileiros e os aplicativos para os smartphones.
Eu sempre lembro que tenho que escrever mais frequentemente no meu blog... afinal ele resume e espelha meu in progress em muitas áreas e interesses, que por sinal são tantos... fica até meio dispersivo ;). Ultimamente tenho estado envolvido em alguns projetos que tem tomado meu interesse e principalmente o meu tempo, todos estão ligados de uma certa forma a minha atividade de ilustração e digital painting utilizando software livre.
Ilustração para Folha de Sâo Paulo, mas não utilizada...
Ilustração para Folha de Sâo Paulo, mas não utilizada...
É realmente triste notar que existe um senso comum ou uma espécie de sabedoria convencional que assume que a marca, tipo, preço do lápis é mais importante do artista que empunha e faz uso.
Ilustração para o anuário ARede de 2012.
Ilustração para o anuário ARede de 2012.
Estes lugares comuns são, como diz o adjetivo, "comuns" mesmo e nem todo mundo nota que a armadilha de muitos destes lugares.
Particular da capa para a revista Wireless Mundi de março deste ano.
Particular da capa para a revista Wireless Mundi de março deste ano.
Pessoalmente estou interessado nos instrumentos em si e grande parte da minha pesquisa é voltada para algo ao que se fazia nas antigas botteghe artísticas do renascimento, descobrir e aprimorar novos processos e métodos mas em ambiente digital. Meus objetos de estudo tem sido entender melhor qual é a relação entre o digital, seus instrumentos, técnicas, aplicativos, podem ampliar e melhorar o conhecimento e a expertise de um artista.

Não acredito que existam caminhos rápidos, fáceis ou mesmo formulas para poder exercer a profissão de artista na era digital… existem sim percursos referenciais que muitas vezes estão sendo ditados pelas ferramentas digitais mais em voga ou do último grito.
Exemplo para a construção de um Mapa de Vitória. [Draft]
Exemplo para a construção de um Mapa de Vitória. [Draft]
Durante todo o ano de 2013 estive concentrado em aprimorar o uso das ferramentas livres para pintura digital dentro de um percurso que é somente meu, mas sem deixar de olhar os bons exemplos, sempre à procura de algo que se encaixe no meu modo de fazer e pensar arte.
Mapa de Vitoria realizado no MyPaint e Gimp para a montagem (190 x 280 cm).
Mapa de Vitoria realizado no MyPaint e Gimp para a montagem (190 x 280 cm).
Grande parte do trabalho foi ainda discutir e estudar pinceis para o Gimp, pesquisa que venho fazendo deste 2007. Para publicar estes argumentos tenho usado muito a rede social google+, aqui está uma seleção do material postado sobre gimp e os pinceis.
Ilustração de meia pagina para a revista ARede em novembro de 2013.
Ilustração de meia pagina para a revista ARede em novembro de 2013.
Em 2010 escrevi aqui um longo artigo sobre aquilo que estava fazendo e meus projetos, alguns daqueles projetos estão adormecidos, outros ao contrário estão vigorosos e bem alicerçados.

Traçar uma linha embaixo das ideias ainda validas e entender como se renovar nas área artística é sempre uma coisa útil e altamente recomendada.
Pagina dupla de matéria de capa para a revista Wireless Mundi em 2013.
Pagina dupla de matéria de capa para a revista Wireless Mundi em 2013.
Também durante 2012 e 2013 criei um bom portfolio de ilustrações, baseado trabalhos reais feitos para algumas revistas dedicadas as novas tecnologias principalmente. Realizar imagens inéditas e interessantes para um tema como a tecnologia da internet e afins foi seguramente uma dificuldade a cada nova pauta ou capa, mas tive oportunidade de aprimorar muitos aspectos do meu estilo e soluções de uso dos softwares livres que escolhi para este processo, o MyPaint e o Gimp.
Testes e comparações com pinceis do gimp de nova geração.
Testes e comparações com pinceis do gimp de nova geração.

Thursday, June 27, 2013

Últimos trabalhos...

Já faz um bom tempo que não posto nada aqui... estive bastante ocupado com alguns projetos que me tomaram por inteiro.
Um projeto para uma matéria de capa para a revista Wireless Mundi e um mapa para um pequeno museu em Vitória do Espirito Santo. Este projeto em particular já estou detalhando no blog que mantenho para o software livre, o Forks And Drills. Este mapa foi bem complicado realiza-lo e tive que pensar em métodos e soluções ideais para o software e maquinas que tenho atualmente. O peso deste mapa aberto no editor de imagens passava de 4Gb o que impedia claramente trabalhar nele inteiramente... então tive que dividi-lo em várias seções. Isto possibilitou um melhor trabalho nos detalhes e sem complicar as questões de agilidade quanto aos softwares que usei (MyPaint e Gimp). Mas também criou outros problemas... como aquele de manter o padrão de tratamento e continuidade das cores.
Mapa de Vitória - ES, 190 x 280 cm, 200 ppi.
Mapa completo, ainda necessita retoques... dimensão final é de 280 x 190 cm (lxh) a 200 ppi.
O trabalho para a revista Wireless Mundi teve varias ilustrações mas aqui vou colocar aquela mais emblemática, a de apertura da matéria sobre o uso de dispositivos móveis para gestão e comunicação da administração pública e governos com os seus cidadãos.
Ilustração realizada com MyPaint e Gimp. 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...